terça-feira, 16 de junho de 2015

ATO PÚBLICO!

Por voto da maioria e Liminar do TJRJ a Greve é suspensa.

Término da Greve, início de Estado de Greve com objetivo de manter a categoria mobilizada em Atos Públicos, Reuniões e Assembleia por 30 dias, a fim de que fosse tirada comissão composta por 10 membros da categoria, com objetivo de viabilizar a criação de procedimentos para deflagração de uma Operação SINASE, a ser iniciada após o termino do prazo do Estado de Greve. Como primeiro Ato Público, foi proposto encontro dos servidores na frente do Fórum de Olaria, sede da 2ª Vara da Infância e Juventude da Capital, no dia 17 de junho, às 11h, a fim de aproveitar a pauta de audiência dos jovens que assassinaram o médico na Lagoa. Ficaria o SIND-DEGASE encarregado de mobilizar a categoria em novos atos, reuniões e assembleias durante o período de Estado de Greve.
Respeitando o processo democrático , foi aberto para votação de proposta, onde a maioria decidiu pela proposta número 2.
Desta forma, pedimos aos companheiros que se mantenham mobilizados, dentro dos propósitos iniciais a fim de juntos consigamos o objetivo final.

Ressaltamos que após termino da Assembleia Geral, compareceu no local da Assembleia, Oficial de Justiça com objetivo de citar o SIND-DEGASE sobre liminar da Presidência do TJRJ, suspendendo a greve dos Servidores do DEGASE, anteriormente encerrado em virtude de votação em Assembleia Geral Extraordinária.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Funcionários do Degase/RJ realizam protesto

Funcionários do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) realizaram um protesto no fim da tarde desta segunda-feira (15), na Estrada do Galeão. Eles ocuparam uma faixa no sentido Ilha do Governador, próximo à Praça do Avião. Segundo o Centro de Operações, o trânsito chegou a ser intenso no local e a pista foi liberada por volta das 19h. O 17ºBPM (Ilha do Governador) acompanhou a manifestação.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Servidores do Degase entram em greve na próxima segunda-feira

Serviços essenciais como alimentação, higiene pessoal e assistência médica de internos serão feitos por plantonistas

Rio - Os servidores do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) decidiram, em assembleia nesta quarta-feira, entrar em greve por tempo indeterminado a partir da madrugada da próxima segunda-feira, dia 15.
De acordo com comunicado divulgado pelo sindicato que representa a categoria, Sind-Degase, agentes que estiverem de plantão só continuarão a atuar, em unidades fechadas e de semi-liberdade, desempenhando serviços essenciais como alimentação, higiene pessoal e assistência médica dos adolescentes internados na instituição. 
Com a decisão pela greve, os servidores deixarão de fazer a transferência de adolescentes de uma unidade para outra, incluindo a realização de audiências. Também serão suspensas a escolta e condução a hospitais para consultas ambulatoriais, fora casos de emergência, visitação aos internos e liberação dos adolescentes para qualquer atividade.
A utilização de viaturas do Degase também ficará restrita a flagrantes de infrações e transporte em caso de emergências médicas. Os piquetes nas portas das unidades serão feitos por funcionários que estiverem de folga, das 6h às 18h. 

segunda-feira, 6 de abril de 2015

PROJETO DE LEI Nº.7.282/2014,INCLUI AGENTE SOCIOEDUCATIVO NO PORTE DE ARMA

De autoria do Exmº. Sr. Dep. Federal Jair Bolsonaro, o Projeto de Lei nº. 7.282/2014, inclui em seu corpo os integrantes do quadro efetivo de agentes de segurança socioeducativos. Está na hora da categoria se mobilizar e cobrar por um direito nosso, que é o da autodefesa.

PORTE DE ARMA JÁ!

domingo, 29 de março de 2015

Sofrimento do Agente do DEGASE após o espancamento

No início da noite de sábado (28), o Agente do DEGASE Israel Nunes, que tinha sido reconhecido por ex internos egressos do sistema, que foi sequestrado e barbaramente torturado por traficantes do morro do Saná 48, no Rio da Prata, em Bangu, teve que retornar mais uma vez para o hospital. Como ficou amarrado por dezesseis horas enquanto era torturado, diversas moscas pousaram na cabeça do servidor público, colocando ovos. Com isso, houve a infestação por larvas de moscas (miíase), o que ocasionou uma infecção. Israel foi amparado pelo SINDDEGASE e levado ao hospital pelo presidente do sindicato dos servidores, João Luiz Pereira Rodrigues, sendo primeiro conduzido ao hospital Albert Schweitzer. Como o hospital não tinha como realizar os procedimentos hospitalares cabíveis, orientaram a procurar o Hospital Souza Aguiar, onde Israel deu entrada ainda no sábado, o Servidor sofreu uma pequena cirurgia e se encontra muito abatido psicologicamente.
Após o sequestro do Agente Israel Nunes, ocorrido no dia 25, servidores do órgão realizarão um ato público na ALERJ, onde ocorrerá uma audiência pública sobre direitos humanos e as condições do DEGASE.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Projeto de lei nº. 77/2015 coloca servidores penitenciários e socioeducativos do RJ em alto risco de morte

A proposta de lei nº. 77/2015, de iniciativa do Legislativo estadual, de autoria do Deputado Estadual Marcelo Freixo, de proibir a revista intima nos visitantes vai nos colocar em alto risco de morte.

Firmamos nossa total e absoluta contrariedade, ante a impossibilidade da aplicabilidade da mesma, visto a total falta de materialidade, não só no quesito  falta de material tecnológico imposto na proposta, como também o reduzido número de funcionários necessários, para implantar tal projeto.

Certamente, seria para as nossas categorias um marco prazeroso, e muito menos trabalhoso poder levar a efeito tal iniciativa futurista. Todavia, a implantação desta ação nos idos de hoje, nas condições em que se encontram nossas dependências prisionais e socioeducativas, nosso efetivo funcional, a falta de material tecnológico necessário à manutenção da segurança, da disciplina e da ordem, que aliada à falta de cultura social, certamente, nos relegaria ao caos absoluto, lançando-nos no mesmo patamar angustiante, pelos quais passam muitos estados do Brasil.

Quereremos e faremos todo o possível, para continuar a exercer melhor a nossa função. Sabemos da posição das categorias em sua totalidade, por nos colocar em alto risco de morte.
        
Neste sentido, vimos denunciar o altíssimo risco de vida a que estaríamos submetendo toda a massa de presos, sócioeducandos, visitantes, servidores penitenciários e socioeducativos, se levado a efeito a sanção deste projeto inexequível e com alto lastro político-eleitoreiro. Visto ser este o ano pré-eleitoral, para a majoritária municipal onde sabemos, ser o autor desta proposta candidato a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro.

Sancionar esta proposta populista é inoportuno, para o momento. Seria condenar estes cidadãos a iminência da morte ou no mínimo a riscos de lesões corporais inimagináveis. o que significaria indenizações vultosas independente da apuração de responsabilidades penais cabíveis. Além de demonstrar um total desrespeito e pouco caso para com as vidas dos cidadãos fluminenses envolvidos com o cárcere carioca, quer sejam presos, visitas ou abnegados servidores.

Imaginem! Se na certeza da revista muitos são os flagrantes de material proibido, como sei já foi levado aos vossos conhecimentos, Partindo dessa premissa, podemos prever, que na certeza da ausência destas revistas todo e qualquer material será introduzido nas unidades, como por exemplo, armas diversas, dentre outros. 

Nos anos de serviço, já vimos muitas tentativas absurdas e irresponsáveis. Mais nunca igual a esta. Tal fato beira as raias da total irresponsabilidade, em total desalinho a obrigação de previsibilidade, que deve nortear toda e qualquer ação de uma autoridade pública. 

Se tivermos que morrer, morreremos sim… mas, que seja de frente e lutando, em honra ao que fazemos desde a data da posse para esta nobre missão publica. Não podemos abrir mão de nossa dignidade profissional e do nosso direito constitucional a segurança, principalmente, em respeito as vidas que estão sob nossa responsabilidade e custodia legal.

Observamos que se hoje chegamos a uma posição de destaque, dentre os entes federativos na qualidade possível para nosso país, no quesito gestão. Foi por muita dedicação, comprometimento, legalidade e abnegação. Condição esta que não estamos dispostos perder. Porém, alertamos que com esta proposta sancionada provocar-se-á inquestionavelmente, um retrocesso, onde prevemos muitas mortes, motins, rebeliões e fugas constantes, levando nossa cidade maravilhosa, a mídia negativa e ao caos na segurança.

Certos de que estamos cumprindo com a nossa parte, firmamos que tão logo nos seja disponibilizado os scanners por unidade, bem como os demais materiais tecnológicos necessários, ao bom desempenho de nossas obrigações legais previstas na Constituição Federal, nas legislações pertinentes e outras, estaremos procedendo na melhor forma, por simples consciência cidadã e profissional, independente da edição de lei.

(Readaptada do Oficio nº. 002/2015 de 19/03/2015 do SINDSISTEMA RJ).